Friday, December 28

Nota 1000 na minha redação do ENEM!

Mais uma grande surpresa na minha vida: meu texto entrou para as redações nota 10 do Exame Nacional do Ensino Médio!! É muita alegria depois de tanto esforço, tanta produção de texto e stress para conseguir tirar o que eu acreditava ser uns 900. Cada vez mais sou surpreendida com acontecimentos que me mostram o quanto o curso de letras foi a escolha certa. A cada amanhecer eu sei que estou mais próxima de realizar o maior sonho da minha vida: botar o meu pé no velho continente, viajar por vários países, falar todos aqueles idiomas lindos e estudar a história e cultura de cada um desses lugares fascinantes. 

Agora para as férias eu já tenho dois trabalhos para fazer (um de morfofonologia e um resumo crítico), além de vários livros para ler sobre teoria da literatura e lingüística. Depois de ver algumas disciplinas do curso eu percebi que bem antes de ingressar na Academia eu já sabia perfeitamente com o que gostaria de trabalhar: tradução, interpretação, literatura e produção de texto. Mais tarde eu pretendo cursar história para enriquecer meu conhecimento na área de Tradução e Interprete, já que é bem com aquela parte cultural que pretendo trabalhar. Agora com o ENEM divulgado, espero que a santa UFPR nos presenteie com o resultado bem antes que o esperado.



3 comments:

  1. PARABENS!!
    POSTA AI TUA REDAÇAO NOTA MIL, POR FAVOR. OBRIGADO

    ReplyDelete
  2. Obrigada. Assim que as redações corrigidas forem liberadas pelo MEC eu colocarei a minha aqui.

    ReplyDelete
  3. Conforme me pediram, postarei aqui minha redação na íntegra:

    Adaptações do Brasil como um pólo atrativo no cenário mundial

    A migração é um termo da geografia que designa o ato de contingentes populacionais migrarem de um local a outro do globo, seja para fugir de problemas de ordem econômica, social, política ou religiosa. O ato de migrar envolve um fator atrativo e outro repulsivo. Um exemplo de pólo atrativo costumam ser os países ricos e a leva de pessoas que saem do mundo subdesenvolvido buscando oportunidades de emprego. Um fator repulsivo que ocorre no Brasil é a migração dos nordestinos que fogem da seca do sertão.

    No decorrer da história esses pólos atrativos e repulsivos se alternaram, ora colocando a Europa como atrativa, ora a América. É esse fenômeno que está ocorrendo no Brasil, país que já foi tanto emigratório quanto imigratório. O Brasil tem se destacado na mídia internacional por conta de sua recente entrada na lista das maiores economias, chegando a ultrapassar o Reino Unido. Somando-se a esse crescimento a crise econômica que assola os países ricos com aumento desastroso de desemprego, esses fatores fazem do Brasil um local promissor para a busca de empregos e para o mantimento do elevado padrão de vida, hoje abalados pela crise.

    Ainda que boa para o desenvolvimento, essa entrada de imigrantes deixa o país em uma situação difícil. Se por um lado o Brasil precisa do inserimento desses profissionais para alavancar sua economia, por outro lado o governo brasileiro não tem investido de forma eficiente na educação e formação de seus profissionais, de maneira que há falta de mão-de-obra qualificada. Dessa forma é gerada uma competitividade desigual entre estrangeiros e recém-formados brasileiros.

    O número de latino-americanos que vivem ilegalmente no Brasil também contribui no acirramento dessa disputa, mesmo que na busca de empregos informais. É preciso lembrar que a entrada do Brasil entre as maiores economias não o tira do subdesenvolvimento. O país não tem estrutura para abrigar populações pobres vindas de países em piores condições. Para de fato evoluir e se tornar uma potencia econômica e social, o governo deve primeiro acabar com a desigualdade de sua própria nação, resolvendo problemas como o subemprego, trabalho escravo e miséria.

    Algumas medidas que devem ser tomadas envolvem maior fiscalização e políticas de contenção à entrada de imigrantes com deportação dos que se encontram em situação ilegal. Uma maior porcentagem do PIB destinado para universidades junto a uma cota para a entrada desses estrangeiros gerará equilíbrio no mercado de trabalho resolvendo o problema da escassez de qualificação atual sem prejudicar os brasileiros, além de evitar a necessidade de buscar mão-de-obra no exterior futuramente.

    ReplyDelete