Saturday, May 6

Nova integrante da família: Flora!


Adotamos um gato! Meu sonho de ter uma bolinha ronronante finalmente se realizou! A adoção de um bichano pode parecer apenas um fato banal na vida de uma pessoa, mas certamente não no meu caso. Pra começo de conversa, sou alérgica (extremamente, embora tenha melhorado com os anos) e tenho uma paixão por gatos que nunca me fez de fato desistir de adotar um novamente. Já tivemos um gato siamês que acabou morrendo quando eu tinha quase 14 anos - no longínquo ano de 2004~ Fui muito apegada ao meu Tom e demorei pra superar sua passagem aos seis aninhos, devido a problemas renais. Tinha uma ligação muito forte com ele ao ponto de até hoje sonhar que estou com ele nos braços. Ele não era nosso único animalzinho, já que adotamos também um cachorro. O Teddy era umas três vezes o tamanho do Tom, mas morria de medo dele - Tom era de fato um gato muito invocado. Mas não tanto quanto nossa Florinha: não se engane com a fofura! Ela é marrenta que só! Devido ao comportamento que por vezes se assemelha ao de cachorro, por vezes ao do diabo da Tasmânia, ainda não descobrimos se ela é de fato um gato ou uma mistura dos três.

Flora foi abandonada com os irmãozinhos e separada da mãe quando ainda era um projeto de gato. Resgatada pelo grupo de proteção aos animais da minha cidade natal, foi acolhida por voluntárias que cuidaram até que ela ganhasse peso. Quando a levei pra casa ela ainda era minúscula! Não parava de miar e se mostrava bem carente, sempre querendo dormir no nosso pescoço. Sempre que ia visitar minha família encontrava uma Flora maior e mais marrenta. Ela é hiperativa, desde filhote dormia pouco para os padrões de um gato, além de apresentar comportamento agressivo. Apronta igual uma criança, por isso é preciso ficar de olho o tempo todo. Mesmo atacando com mordidas e garras afiadas, se agarrando nos nossos pés e se arrastando junto quando tentamos correr, Flora é uma criatura muito dócil (aham). Minha família e meu namorado vivem falando que ela puxou a dona. Confesso que não sei se eles se referem ao que expus acima ou ao fato de ela adorar yogurt grego. 

Hoje Florinha está com aproximadamente 6 meses de vida e com muita energia! Super mimada, ganhou tudo lilás e cor-de-rosa (caixinha de areia, potinho de água, caixa transportadora, ninho, etc), fora uma mantinha com estampa de oncinha. Flora está sendo uma verdadeira terapia pro pessoal lá de casa, o que me deixa muito feliz. Não demorou muito pra essa coisinha conquistar o coração de todos. Devo vê-la no próximo final de semana, aí farei questão de postar mais fotos dessa fofa!

Thursday, May 4

Voltando às atividades

Depois de mais de um ano sem mostrar as caras por aqui resolvi voltar a escrever. Esta postagem é mais pra contextualizar o retorno, explicar os motivos do meu sumiço e resumir em poucas linhas o que andei aprontando ao longo desse ano que estive distante. Pois bem, por onde começo?

O último ano foi muito cheio devido às atividades acadêmicas, problemas e mudanças pessoais, fechamento de algumas portas e consequente abertura de outras, etc. Se 2015 foi um divisor de águas na minha vida, 2016 foi o ano de botar as mudanças adquiridas em prática. Embora produtivo, 2016 foi de certo modo conturbado. Pra começar, foi o ano em que decidi encarar várias coisas de frente, como aquelas adoráveis disciplinas de literatura na faculdade. Decidi enfrentar todas (ou quase todas) de uma vez só, o que me rendeu um colapso ali por maio, curiosamente há exatamente um ano atrás. Graças a minha persistência e teimosia, saí vitoriosa, com um bom desempenho e ótimas notas (excetuando-se três malditos setes nas matérias de poesia - apenas uma no histórico). No segundo semestre, além de cursar o restante das obrigatórias e tentar eliminar de vez qualquer traço de literatura, estava me preparando pra um congresso, oficialmente o meu primeiro (fora da universidade). Pela primeira vez viajei para apresentar trabalho em um evento de outra universidade (UFSC) e conheci a adorável capital do meu estado, Florianópolis. 

Enquanto muita coisa acontecia, rolou a greve das universidades federais e as ocupações, o que nos impediu de ter aula por aproximadamente dois meses. Dessa forma, passamos de ano mas não de semestre, tendo que repor as aulas perdidas em pleno janeiro. Eu confesso que não achei ruim ter que ficar em função de trabalhos e mais trabalhos de aula em plenas férias de verão. Por dois motivos: em primeiro, por saber que devido aos problemas pessoais que tive no ano passado o melhor pra mim seria manter a cabeça ocupada com coisas importantes. Em segundo, por achar minha cidade natal tediosa demais pra passar as férias todas por lá. Ainda que seja legal passar um tempo com minha família, tenho sede pelo ritmo de uma cidade maior. 

Enfim: tudo isso pra dizer que meu ano foi academicamente muito produtivo, que abri mão do vegetarianismo por tempo indeterminado por questões de saúde, que eu e meu namorado decidimos que íamos virar mochileiros, que finalmente decidi o que ia pesquisar na monografia, que amadureci muito, que me reaproximei de velhos grandes amigos, que me afastei de algumas pessoas e me aproximei de outras, entre muitas coisas. Agora, voltando para 2017, eu diria que fiz uma longa jornada e estou feliz onde estou. Estou no último ano da faculdade, pesquisando igual uma louca um assunto que me fascina, com o orientador que eu queria, cheia de planos para o mestrado e finalmente me dedicando quase que exclusivamente ao assunto que amo: linguística. Fora as questões acadêmicas, muita coisa boa aconteceu em outras áreas da minha vida, mas isso é história para outras postagens.

Nos últimos tempos andei considerando voltar a escrever aqui, especialmente após eu mostrar a página pra uma amiga que ficou maravilhada com o blog. Ela meio que me incentivou a manter a página, ainda que com postagens escassas. Inicialmente até considerei retomar as atividades usando uma conta antiga minha em outra plataforma, em partes por já ter mudado muito meu estilo de postagens e sentir uma necessidade de iniciar algo com um tom que se aproxime mais do que sou hoje. Ainda não me decidi. Até lá seguirei utilizando esta página. Como minha rotina está bem cheia, não prometo postagens frequentes. Também não garanto que eu vá de fato permanecer ativa por aqui, podendo sumir novamente por um período indeterminado. 

~gremena
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...