Sunday, August 6

I don't wanna come back down from this cloud ♪

As férias acabaram e eu estou aqui sentada na minha mesa às 10 am com bafo de café, um dia lindamente azul mostrando as caras entre as cortinas e um zilhão de textos para ler. Voltei para a cidade grande no domingo e já me acostumei com a rotina. Achei que seria difícil no começo depois de passar quase um mês morgando na casa da minha família. Minhas férias se resumiram a cozinhar pratos elaborados, conversar com meus amigos (agora tenho whatsapp :D), ouvir música, assistir o por do sol da janela do meu quarto, sonhar acordada e irritar a Flora. Aliás, irritar a Flora tem sido uma das minhas ocupações favoritas nos últimos tempos. Como ela odeia colo, insisto em segurá-la até que ela fica me encarando muito puta e batendo o rabo com força. Minha mãe então pega a mimadinha da casa no colo e fica consolando, dizendo que estão judiando. Eu, como irmã mais velha e provocativa, fico atrás dando risada e apontando pra ela. Flora, do colo da minha mãe, tenta me arranhar esticando a patinha. Além de resmunguenta, é respondona. Só sei que ter a Florinha animou os ânimos da casa. Engraçado o quanto ela me puxou: brava, se irrita com facilidade, não gosta de contato corporal, ataca os outros (bota até os gatos pra correr), adora ficar nos telhados (ok, isso é comum pra um gato, mas eu também gosto :B), tem espírito livre (aventureira, não tem quem segure), resmunguenta, orgulhosa e adora yogurt grego.

Flora relaxando em seu banho de sol invernal.
Além de irritar a Flora, aproveitei meu tempo livre pra curtir o frio, acender incensos de viole(n)tas, tirar fotos de nuvens nos finais de tarde e procurar bandas novas. Como estou numa fase bem grunge, parte da minha playlist foi ocupada por bandas dos anos 90. A que mais me chamou a atenção foi Bush! Tenho ouvido alguns álbuns repetidamente, sendo os que eu mais gostei o the science of things e o sixteen stone  (o melhor). Adoro tanto a sonoridade quando os vocais dessas bandas que surgiram no grunge, são ótimas para sonhar acordado. Só sei que aproveitei muito as tardes ensolaradas ao som dessas músicas ao longo das férias. Engraçado que, quando estou por lá é como se entrasse em um universo paralelo, me desligo de muita coisa e acabo me perdendo. 

A gente sempre fica com aquela sensação do "eu devia ter aproveitado melhor as férias", seja no sentido de ter estudado mais, saído mais, começado a aprender aquela idioma que você tanto quer, ou qualquer coisa mais útil. Também tenho essa impressão, mas também vejo a necessidade de termos ao menos uma época ao longo do ano pra ficarmos mais entretidos nos nossos mundinhos interiores: é dali que os próximos passos na realização dos sonhos vão ser planejados :) Eu sempre aproveito as férias para refletir sobre a pessoa em que me tornei, no que tenho feito ao longo desses últimos anos, o que eu deveria ter feito melhor e o que posso fazer pra compensar hoje. O que eu estou fazendo realmente me faz feliz? Fico pensando nas pessoas, amigos que vem me acompanhando ao longo dos anos, mesmo de longe, o caminho que cada um traçou, me pergunto pra onde esse mundão vai levar cada um de nós. Todos nós precisamos de um momento desses pra fazer essas viagens internas. Meu cantinho preferido pra sonhar acordada é na janela do meu quarto. De lá consigo ir até o telhado pra observar o céu colorido dos finais de tarde. O meu momento de introspecção começa um pouco antes: às 16 pm as tardes começam a caminhar para o final do dia e eu gosto de ficar observando as cores que o sol projeta no telhado das casas, nas árvores e campos ao redor. 

Grama depois da geada!
O mês de julho também serviu para curtir o frio catarinense =´] As temperaturas despencaram e os dias foram lindamente ensolarados. Fiquei mal acostumada com os dias azuis quando voltei pra cá e voltei a sentir o tempo tipicamente nublado daqui. Eu amo dias invernais, o difícil é sair da cama de manhã uhseuheusu. Mas nada que um banho quente não resolva! Uma das coisas que mais amo nas noites de inverno é dormir ao som do vento. Aproveitei essas noites frias em que seria possível acordar mais tarde no dia seguinte e fiquei no meu "transe musical" típico de apagar as luzes, fechar os olhos e me envolver nas músicas até me perder nos meus pensamentos. 

Ahhh e como o spotfy me ajudou a arrumar músicas legais pra esses momentos. Os jovens de hoje nem imaginam como ainda era meio complicado procurar por artistas novos na minha época de adolescência. Já existia sites que ajudavam nesse sentido, como o last.fm. Mas mesmo o last.fm era (e ainda é) bem limitado. Primeiro que não era prático ouvir músicas por lá já que era necessário ser assinante, caso contrário você só teria acesso a músicas fragmentadas. Nem mesmo o youtube era tão completo. Isso sem mencionar o modo como a gente trocava músicas entre amigos: geralmente tentávamos enviar via msn, o que levava décadas. O processo era demorado e isso quando não dava erros. Quando a música finalmente ia, a pessoa ainda não gostava. ¬¬' Apesar de tudo era uma boa época. Hoje num toque tenho acesso a não apenas listas de bandas parecidas com as que gosto, mas toda a discografia delas, em um piscar de olhos. Eu não sou uma pessoa que tenha acompanhado a evolução desses novos sites e aplicativos, tanto é que só fui descobrir o spotfy no início do ano. Sem dúvidas foi uma das melhores descobertas de 2017 :)

Viajando com minhas músicas .
Mas as férias acabaram. É hora de descer do telhado (ou da nuvem, como diz a música) e voltar pra realidade. Minhas aulas começaram com tudo! Pra ser sincera a única aula foda da semana toda foi ontem, um tema que me surpreendeu: vamos ler o Steven Pinker e discutir temas relacionados à linguística e literatura, psicologia evolutiva etc. Ainda não sei como o semestre vai se configurar, já que vou tentar a prova de suficiência e língua estrangeira pra eliminar algumas matérias que tive que pegar puramente pela carga horária que preciso pra me formar. A aula de sábado é a única garantida. Ao menos esse semestre terei duas grandes atividades: as orientações monográficas e essa aula foda. Tenho certeza que, academicamente, esse semestre será melhor e mais frutífero. Pra abrir com chave de ouro, meu orientador me emprestou um livro chamado an essay on stress: piadinha linguística hehe. O livro é de fonologia, mas pode servir como livro de auto-ajuda também, não? D:

No mais, deixo aqui links das musicas que me fizeram sonhar nessas férias ;) e que continuarão embalando minhas tardes de trabalho no projeto de mestrado, monografia e afins! ♪ comedown, ♪ little things, ♪ testosterone everything zen

No comments:

Post a Comment