Sunday, January 17

~E a pesquisa continua!

Semana passada fiquei sabendo do Celsul 2016 (Círculo de Estudos Linguísticos do Sul) que acontecerá em setembro na UFSM, e imediatamente a ideia de apresentar minha pesquisa de iniciação científica lá surgiu em minha mente e ficou martelando. Não sosseguei até enviar um e-mail para a minha orientadora perguntando o que ela achava da ideia. Depois não sosseguei até ela me responder: fui logo procurando por mais banco de dados e bibliografia, até que ela respondeu dizendo achar a ideia ótima! Agora ninguém me segura! Acabei nem postando nada a respeito aqui, mas essa pesquisa (na qual trabalhei de 2014 até outubro do ano passado) me rendeu muita alegria e comemoração quando a apresentei no Evinci da UFPR, primeiro congresso científico do qual fiz parte na vida!  Meu trabalho foi muito bem recebido pela banca, o que me rendeu o primeiro lugar, com pontuação redondinha: 100! 

Motivos pelos quais fiquei explodindo de felicidade? Realização acadêmica? Sim, também, pois quero seguir carreira, seguir o rigor científico em minha busca por respostas e aprender muito. Mas não foi só a conquista acadêmica que fez desse um dos acontecimentos mais significativos da minha vida. Também teve as conquistas pessoais. Tudo vale ponto para a banca, incluindo, claro, a forma de se apresentar, a convicção com a qual o aluno explica os fenômenos encontrados e responde as perguntas. Respondi uma super bem, outra necessitava de muito mais leitura sobre um fenômeno específico. Fiquei feliz quando fui sentar depois da minha apresentação, minha orientadora virou pra mim e disse que eu fui muito bem, que falo com segurança e isso faz toda a diferença. Não consigo explicar o quão importante foi tudo isso pra mim. Venci muitas barreiras e  mostrei que levo sim jeito para a pesquisa! Quem já lê meu blog há mais tempo sabe que a princípio eu havia ingressado com interesse em tradução. Porém, eu com todo  meu metodismo queria trabalhar com tradução técnica, e não a literária. Acontece que universidades não oferecem formação técnica nisso. À medida que fui me distanciando da tradução, me aproximei cada vez mais da linguística. O fato é que desde a primeira aula que tive na faculdade (que foi de linguística I) já fiquei totalmente apaixonada por todo esse universo! 

Mas afinal o que raios é isso que você estuda? 


Ao contrário do que a maioria das pessoas não familiarizadas com a linguística tendem a pensar, aquisição da linguagem não se trata de alfabetização infantil, ensinar gramática na escola ou qualquer coisa do tipo. Esse estudo pesquisa como que crianças adquirem uma língua (qualquer que seja), quais mecanismos cerebrais/mentais estão envolvidos na aquisição. A teoria com a qual trabalho (Gerativa) acredita que a espécie humana possui um módulo da gramática que nos torna capazes de adquirir uma língua, o que nos difere dos demais animais. A linguística nesse aspecto se relaciona muito com a biologia, dando origem à biolinguística, área interdisciplinar onde se estuda comportamento animal, genética, síndromes interessantes que afetam ou não a linguagem, neuro e psicolinguística entre tantas outras coisas magníficas! Para quem se interessar: 

http://www.biolinguistics.eu/index.php/biolinguistics

Mas chega de papo! Agora é continuar minha pesquisa, buscar mais dados, fazer minhas anotações e que venha o Celsul! 

No comments:

Post a Comment

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...